Concurso público para professor e coordenador pedagógico da rede estadual será realizado no dia 25 de fevereiro

Seleção Reda Professor (2)

O Governo do Estado confirmou para o dia 25 de fevereiro, às 9h (horário local), a realização das provas do concurso público para 3.760 vagas, sendo 3.096 para professores e 664 para coordenadores pedagógicos, da rede estadual de ensino, por meio de publicação, nesta quarta-feira (7/2), no Diário Oficial (DO). A avaliação será realizada em duas etapas (objetiva e discursiva) e terá duração de 4h30, para professores, e de 3h30, para coordenador pedagógico. O candidato que não receber o cartão informativo até o terceiro dia que antecede a aplicação das provas ou que tiver dúvidas deve entrar em contato com Fundação Carlos Chagas, pelo telefone (0XX11) 3723-4388, de segunda a sexta-feira (úteis), das 10 às 16 horas ou acessar o Portal: www.concursosfcc.com.br.

O secretário da Educação do Estado, Walter Pinheiro, destaca que o objetivo principal do concurso é fortalecer a Educação pública na Bahia. “Realizar este concurso foi um desafio assumido pelo governador Rui Costa, mesmo em um cenário econômico nacional ruim. Com isso, vamos fortalecer o eixo pedagógico com coordenadores pedagógicos em todas as escolas e ampliar o quadro de professores efetivos, promovendo, inclusive, esta renovação na rede, uma vez que estamos concedendo muitos pedidos de aposentadoria”, diz.

As provas serão aplicadas nas cidades de Salvador, Alagoinhas, Amargosa, Barreiras, Bom Jesus da Lapa, Caetité, Eunápolis, Feira de Santana, Ipirá, Irecê, Itaberaba, Itabuna, Itapetinga, Jacobina, Juazeiro, Jequié, Macaúbas, Paulo Afonso, Ribeira do Pombal, Santa Maria da Vitória, Seabra, Serrinha, Santo Antônio de Jesus, Senhor do Bonfim, Teixeira de Freitas, Valença e Vitória da Conquista, conforme opção indicada pelo candidato na inscrição.

Somente será admitido à sala de provas o candidato que estiver devidamente portando documento de identidade original, que legalmente o identifique, como: Carteiras e/ou Cédulas de Identidade expedidas pelas Secretarias de Segurança Pública, pelas Forças Armadas, pela Polícia Militar, pelo Ministério das Relações Exteriores; Cédula de Identidade para Estrangeiros; Cédulas de Identidade fornecidas por órgãos públicos ou conselhos de classe que, por força de Lei Federal, valham como documento de identidade.

Etapas – O concurso contará com três etapas: provas objetiva, discursiva (ambas no dia 25 de fevereiro) e de títulos (com previsão para abril de 2018). As vagas para professor são nas áreas de Arte, Biologia, Educação Física, Filosofia, Física, Geografia, História, Língua Inglesa, Língua Portuguesa, Matemática, Química e Sociologia, sendo exigida formação específica e diploma concedido por instituição reconhecida pelo Ministério da Educação (MEC). Para coordenador pedagógico é exigida formação em Pedagogia, também com reconhecimento do MEC. Em todos os casos, a carga horária semanal é de 40 horas.

Um total de 103,5 mil candidatos se inscreveram no concurso público da rede estadual, realizado conjuntamente pelas Secretarias da Educação e da Administração (SAEB). Este é o sexto concurso que a atual gestão do Governo do Estado realiza em quase três anos, já tendo provido vagas nos quadros da Polícia Militar e Corpo de Bombeiros Militar, Oficiais da Polícia Militar, Embasa, Junta Comercial (Juceb) e da Agência Estadual de Regulação de Serviços Públicos de Energia, Transportes e Comunicações da Bahia (Agerba).

Secretaria realiza formação de coordenadores regionais sobre o Pacto Nacional pela Alfabetização na Idade Certa

A Secretaria da Educação do Estado promoveu, nesta terça-feira (6), no Instituto Anísio Teixeira (IAT), o primeiro Encontro Formativo Presencial com os coordenadores regionais do Pacto Nacional pela Alfabetização na Idade Certa (PNAIC), para discutir ferramentas de gestão do programa na Bahia. Com representantes dos 27 Núcleos Territoriais de Educação (NTE), a atividade visa o fortalecimento da educação de crianças do 1º ao 3º ano de Ensino Fundamental das redes municipais, da Educação Infantil e do programa Novo Mais Educação.

A coordenadora de Projetos Especiais (COPE) da Secretaria da Educação do Estado, Elenir Alves, falou sobre a importância da formação para o bom desempenho do programa. “Os coordenadores participaram desta atividade para conhecer instrumentos de gestão que possam ser utilizados para assegurar a realização do programa nas regiões onde atuam. Com este encontro vão poder desenvolver com os coordenadores locais estratégias de articulação junto aos municípios”, declarou.

Elenir ainda destacou os próximos passos para o desenvolvimento do PNAIC na Bahia. “Após essa etapa, os coordenadores vão participar da formação pedagógica promovida pela Universidade Federal do Recôncavo da Bahia (UFRB). O desafio é que agora vamos também atender a formação nos segmentos da Educação Infantil, além dos mediadores e articuladores do programa Novo Mais Educação”, disse.

PNAIC – Promovido pelo Governo Federal, o programa na Bahia é uma a ação fruto da parceria entre a Secretaria da Educação do Estado, a União Nacional dos Dirigentes Municipais de Educação (UNDIME-BA) e a Universidade Federal do Recôncavo da Bahia (UFRB).

Educadores planejam o ano letivo na rede estadual durante Jornada Pedagógica 2018

img-20180206-wa0073img-20180205-wa0005img-20180205-wa0035img-20180206-wa0024 img-20180206-wa0030 img-20180206-wa0031 img-20180206-wa0039 img-20180206-wa0043 img-20180206-wa0046 img-20180206-wa0059 img-20180206-wa0062

Professores, gestores, coordenadores pedagógicos e técnicos da rede estadual de ensino estão mobilizados em toda a Bahia em torno da Jornada Pedagógica 2018. A primeira etapa do planejamento coletivo começou nesta segunda-feira (5) nas escolas estaduais em toda a Bahia e segue até esta quarta-feira (7), com o tema “Aprendizagens e Territórios: Novos Rumos para a Educação do Século XXI”. A atividade conta com mais de 30 mil educadores diretamente envolvidos e visa discutir ações e atividades para a melhoria da aprendizagem, avaliando o conteúdo e estratégias de articulação entre os projetos e o currículo.

O secretário da Educação do Estado, Walter Pinheiro, participou da jornada, nesta segunda-feira, em dois momentos, primeiramente no Centro Estadual de Educação Profissional (CEEP) em Saúde Anísio Teixeira, no bairro de Caixa D´Água, e, depois, no Colégio Estadual Almirante Barroso, no bairro de Paripe, em Salvador. Na oportunidade, Pinheiro conversou sobre o trabalho desenvolvido para a melhoria do processo de ensino e aprendizagem dos estudantes e sobre a importância das unidades como base das mudanças pedagógicas da rede estadual.

“A ideia para melhorarmos a oferta da educação na rede estadual teve sempre como primeiro passo ouvir os educadores que estão no dia a dia na escola. O trabalho que está sendo realizado há um ano e meio é de irmos à unidade escolar para conhecer a realidade de cada localidade, sempre motivando os gestores e professores a apresentar o que acreditam ser essencial para o desenvolvimento da sua pedagogia. Por isso, criamos o projeto Transformaê, que teve essa finalidade. E iniciamos, em 2017, duas etapas da Jornada Pedagógica, uma no início do ano letivo e outro no meio do ano”, destacou Pinheiro.

Reestruturação – Nesta perspectiva, o secretário elencou mudanças realizadas a partir destes debates. “Foi ouvindo a demanda das escolas que alteramos a duração dos cursos técnicos de nível médio, de quatro para três anos e que percebemos a importância de atrair estudantes que já terminaram o Ensino Médio, por meio de cursos de curta duração. Também reestruturamos o ensino noturno e estamos valorizando a Educação Inclusiva com mudanças estruturais nas escolas”, contou.

Na ocasião, Pinheiro parabenizou o estudante da unidade CEEP em Saúde Anísio Teixeira, Livio Trindade, 18 anos, presente ao evento, pelo seu excelente desempenho com o 1º lugar do curso de Direito, na Universidade Federal da Bahia (UFBA). “Esse é o melhor resultado que podemos apresentar pelo bom trabalho desenvolvido pelo aluno e professores na escola. Uma gestão não pode possuir rótulos ou carimbos, tem que ser baseada na construção de uma ação pedagógica concreta que possa oportunizar a outros estudantes a habilidade de concorrer e ingressar nas principais universidades, como aconteceu com o Lívio”, disse.

Gratidão – Para o estudante Lívio Trindade, retornar à unidade escolar representou um gesto de agradecimento. “É bom estar de volta à escola e rever todos os professores que foram importantes para a minha formação. Sei que a conquista deste sonho teve muito da minha vontade, mas tenho certeza que sem a postura dos meus professores que apresentam um trabalho pedagógico muito bom não teria base para enfrentar essa grande concorrência,” afirmou.

A diretora do CEEP em Saúde Anísio Teixeira, Verônica Lisboa, disse que a Jornada Pedagógica tem um papel fundamental para o planejamento do ano letivo. “Com certeza é um momento de reflexão e avaliação do ano que se passou, para repensarmos melhorias para o vindouro ano letivo. Receber a visita do secretário também nos dá um grande suporte para começarmos bem,” ressaltou.

Ainda segundo a diretora do Almirante Barroso, Celsina Borba, “a proposta de abraçarmos as necessidades dos moradores da comunidade com cursos e novas ofertas é valorosa. O que sempre digo aos professores é que toda inovação requer desafios e temos que estar preparados para as mudanças”, avaliou.

Começa nesta segunda-feira (5) a Jornada Pedagógica nas escolas da rede estadual

jornadacard jornada-pedagogica-no-col-est-gastao-guimaraes-foto-marcal-dutra-4

Começa nesta segunda-feira (5/2) a Jornada Pedagógica nas escolas da rede estadual, que tem o objetivo de reunir gestores e professores, em cada unidade, para articular o planejamento para o ano letivo 2018 que tem início no dia 19 de fevereiro.

Para a abertura, o secretário da Educação do Estado, Walter Pinheiro, acompanha as atividades, a partir das 8h, no Centro Estadual de Educação Profissional (CEEP) em Saúde Anísio Teixeira, no bairro de Caixa D´Água. A Jornada Pedagógica nesta unidade também contará com a participação do estudante Livio Pereira, que passou em primeiro lugar no curso de Direito da Universidade Federal Bahia (UFBA).

Com o tema “Aprendizagens e Territórios: Novos Rumos para a Educação do Século XXI”, a Jornada Pedagógica 2018 acontece de 5 a 7 de fevereiro, das 8h30 às 22h, em todas as escolas da rede estadual. De forma inovadora, desde 2017 a Secretaria da Educação realiza a iniciativa em duas etapas, uma no início e a outra no meio do ano letivo.

Dados do Censo Escolar comprovam eficiência das políticas públicas da Educação na Bahia

Os dados do Censo Escolar divulgados hoje (31), pelo Ministério da Educação (MEC), comprovam a assertividade das políticas públicas promovidas pelo Governo da Bahia na área da Educação Básica. A ampliação das matrículas nas modalidades de Educação integral, profissional, especial, indígena e quilombola, além da redução das taxas de abandono e da distorção idade-série foram destaque.

Na Educação profissional, 75.214 estudantes se matricularam em 2017, o que representa um aumento de 343,9% em comparação a 2007. As matrículas da Educação Integral no ensino médio aumentaram 76,3%, subindo de 4.041 em 2016 para 7.123 no ano passado.

“Este resultado é fruto de programas e projetos que vêm sendo implementados na Bahia desde 2007, com foco na melhoria da Educação em todas suas modalidades, a partir da prioridade que passou a ser dada pelo Governo do Estado. Além disso, estamos com uma nova oferta, integrando a Educação Básica com a Profissional, ofertando cursos de curta duração em diversas áreas do conhecimento e otimizando os cursos da Educação Profissional que passam a ser de três anos de duração e não mais quatro anos, para que o estudante tenha acesso mais ágil ao mundo do trabalho”, destaca o secretário da Educação do Estado, Walter Pinheiro.

Já a matrícula na educação escolar indígena registrou um aumento de 398,43% entre 2006 e 2017, quando 7.322 estudantes desta modalidade foram matriculados na rede estadual. Com relação à educação quilombola, houve um aumento na matrícula de 229,6% entre 2006 e 2017, quando 19.968 estudantes foram matriculados nesta modalidade. “Este crescimento traduz o esforço realizado pelo Estado desde a concepção de políticas de ação afirmativas à adoção de medidas específicas para grupos étnicos-raciais e povos indígenas”, complementa Pinheiro.

Na rede Estadual, a redução da taxa de distorção idade-série no Ensino Médio foi de 23,4 pontos percentuais, passando de 69,4% (2006) para 46,0% (2016). O Censo também apontou redução das taxas de abandono no ensino fundamental e médio ofertados pelo Estado, com diminuição de 67,1% na taxa de abandono do ensino fundamental, enquanto no ensino médio essa mesma taxa diminui 64,3%, no comparativo entre 2006 e 2016.

Com relação à Educação Especial, houve crescimento do atendimento dos estudantes em escolas regulares e classes comuns de 152%, no período 2006 a 2017, na rede Estadual, com 6.634 estudantes distribuídos e incluídos em 1.053 unidades de ensino no ano passado.

Graças ao Programa Todos Pela Educação (TOPA), a alfabetização da população de 15 anos e mais passou de 81,4% (2006) para 86,5% (2015), o que representa um crescimento de 5,1 pontos percentuais. Esse resultado é decorrente de políticas de alfabetização de jovens e adultos e de mudanças nos processos de ensino e aprendizagem nas séries iniciais do ensino fundamental.

Candidatos podem agendar exame de certificação dos Ensinos Fundamental e Médio a partir desta quinta-feira (1º)

 

Começa nesta quinta-feira (1º/2) o período de agendamento dos exames de certificação para os Ensinos Fundamental e Médio para o ano de 2018, que são aplicados pelas 19 Comissões Permanentes de Avaliação (CPA), existentes nas unidades escolares de 15 Núcleos Territoriais de Educação (NTE), autorizadas pelo Conselho Estadual de Educação (CEE). Os candidatos interessados em se inscrever para os exames realizados pela CPA deverão agendar a prova através do sistema CPA On-line, nos endereços eletrônicos cpa.educacao.ba.gov.br ou www.educacao.ba.gov.br.

Nos exames de certificação para os Ensinos Fundamental e Médio, as avaliações incluirão os seguintes componentes curriculares: Língua Portuguesa com Redação, Matemática, História, Geografia, Ciências e Língua Estrangeira Moderna (Ensino Fundamental) e Língua Portuguesa e Literatura Brasileira, Redação, Língua Estrangeira Moderna, Matemática, História, Geografia, Sociologia, Filosofia, Química, Física e Biologia (Ensino Médio). Na data e no horário estabelecidos no ato do agendamento para a orientação pedagógica presencial, o candidato deverá apresentar os seguintes documentos: duas fotos 3×4 (iguais e recentes); Carteira de Identidade ou Carteira de Trabalho (original e cópia atualizadas e em perfeito estado de conservação).

A diretora de Educação e Suas Modalidades da Superintendência de Políticas para a Educação Básica, da Secretaria da Educação, Rowenna Brito, explica que o candidato poderá fazer mensalmente provas de até três componentes curriculares nos exames do Ensino Fundamental e até quatro nos do Ensino Médio, conforme disponibilidade da unidade escolar, inclusive os alunos do curso regular, com reprovação no último ano dos referidos níveis. Além disso, o candidato portador de certificado de estudos realizados por, no mínimo, dois anos em instituições legalmente constituídas, poderá solicitar a dispensa dos exames de certificação de Língua Estrangeira Moderna, fazendo-se sua inclusão no Histórico Escolar.

Os estudantes que se submeterem aos exames de certificação e não obtiverem aprovação em um ou mais componentes curriculares, somente poderão realizar nova avaliação após o período mínimo de 60 dias. O mesmo prazo vale para aqueles que não comparecerem na data estabelecida para a realização dos exames e não tendo informado a sua ausência por meio de documento legal. Já os candidatos com pendências nos componentes curriculares deverão comparecer na data específica para o atendimento presencial nas unidades escolares credenciadas para realização dos exames da CPA.

ENCCEJA – Outra ferramenta para avaliar as pessoas que não tiveram a oportunidade de concluir os estudos é através do Exame Nacional para Certificação de Competências de Jovens e Adultos (ENCCEJA), que passou a ter novamente esta função (que exerceu até 2009), a partir das mudanças do Exame Nacional do Ensino Médio (ENEM). O exame também volta a ser aplicado para a certificação do Ensino Fundamental e passa a contar com maior envolvimento das Secretarias Estaduais de Educação.

Realizado no Brasil e no exterior, tanto para o público regular quanto para o Público Privado de Liberdade (PPL), o ENCCEJA é voluntário, gratuito e destinado à certificação dos Ensinos Fundamental e Ensino Médio. Podem fazer o ENCCEJA pessoas com, no mínimo, 15 anos completos na data da realização das provas que desejam pleitear certificação do Ensino Fundamental e, no mínimo 18 anos completos na data da realização das provas, para os que desejam pleitear a certificação do Ensino Médio.

Documentos Certificadores – O Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais Anísio Teixeira (INEP) é responsável pela elaboração, gestão da aplicação e correção das provas. A emissão dos documentos certificadores é de responsabilidade da Secretaria Estadual de Educação ou da instituição educacional que firmar Termo de Adesão com o INEP. São duas opções: Certificado e Declaração de Proficiência. O primeiro reconhece, oficialmente, que o educando cumpriu na íntegra todos os componentes curriculares do núcleo comum dos Ensinos Fundamental ou Médio. A segunda é a certificação parcial que comprova que o participante conseguiu cumprir um ou mais componentes curriculares nas áreas avaliadas pelo ENCCEJA.

Estrutura da Prova – Cada área do conhecimento tem uma Matriz de Referência (documento que subsidia a elaboração da prova), composta por 30 habilidades. Cada prova é composta por 30 itens do tipo múltipla escolha com quatro alternativas de resposta. O INEP recomenda notas mínimas para as instituições certificadoras. Para as provas objetivas, a nota mínima sugerida é de 100 pontos em cada, o que representa em média 50% das habilidades que a prova de cada área afere. No caso de Língua Portuguesa, Língua Estrangeira Moderna, Artes e Educação Física ou Linguagens, Códigos e suas Tecnologias, o participante deverá adicionalmente obter proficiência na prova de Redação. A prova de redação distribui 10 pontos e a nota mínima sugerida pelo INEP é de 05 pontos. As provas serão aplicadas em um único dia.

 

sem-titulo2

Secretaria da Educação realiza confirmação de matrícula para estudantes da Educação Inclusiva

A confirmação de matrícula para os estudantes da Educação Inclusiva, na rede estadual de ensino, começa nesta quinta-feira (25) e prossegue até a próxima segunda (29). O processo é direcionado a estudantes com necessidade educacional especial (com deficiência, transtorno global do desenvolvimento, e/ou altas habilidades/superdotação), que foram pré-matriculados no mês de novembro.

A matrícula antecipada teve o propósito de preparar a rede estadual de ensino para receber os alunos, possibilitando a inclusão deles em um serviço de qualidade. A pré-matrícula é um processo consolidado pela Secretaria da Educação do Estado, com a implantação, em julho deste ano, das Diretrizes da Educação Inclusiva.

Para a confirmação de matrícula dos estudantes da Educação Inclusiva, os pais ou responsáveis devem apresentar os seguintes documentos na unidade escolar que foi indicada no cadastro: Original do Histórico Escolar ou Atestado de Escolaridade, firmado pela direção da unidade escolar (deve ser substituído pelo Histórico Escolar em até 30 dias); original e cópia da Carteira de Identidade (RG) ou Certidão de Registro Civil; original e cópia do CPF; original e cópia legível com data recente do comprovante de residência (água, luz, telefone fixo ou móvel, gás encanado, Internet, contrato de aluguel, IPTU, dentre outros); e o código do SETPS (que consta no Salvador Card) para as escolas do município de Salvador.

Estudantes irão expor 94 obras de artes visuais na Arena Fonte Nova

exposicao-do-ave-na-alba6 mostra-de-artes-visuais-estudantis-na-flica-foto-marcal-dutra-4

As experiências criativas dos estudantes da rede estadual retratadas em 94 obras estarão expostas na 9ª Mostra de Artes Visuais Estudantis (AVE), dentro do 5º Encontro Estudantil da Rede Estadual, de 21 a 23/11, na Arena Fonte Nova, em Salvador. O Encontro será aberto ao público, das 8h às 18h, e reunirá, ao todo, mais de 4 mil estudantes dos 27 Núcleos Territoriais de Educação (NTE), que irão apresentar, ainda, projetos de ciência, esporte, cultura, empreendedorismo, inovação, tecnologia e de intervenções sociais.

Pelo AVE, o público visitante poderá conferir quadros, através dos quais os alunos revelam a sua percepção de mundo – seja pela vida cultural, social, política ou religiosa – que os cerca. Este projeto tem o objetivo de estimular a criação de obras de artes visuais nos contextos escolares, assim como a va­lo­ri­zação das ex­pres­sões cul­tu­rais re­gi­o­nais, visando a am­pli­ação do co­nhe­ci­mento. Os estudantes que irão expor no Encontro Estudantil passaram por seletivas escolares e territoriais, durante o ano letivo de 2016.

A coordenadora de Projetos Intersetoriais da Secretaria da Educação do Estado, Nide Nobre, destaca o valor das obras finalistas do AVE. “Os nossos artistas apresentam autorretratos de sua vida estudantil, bem como revelam sua visão de mundo sobre tudo ao seu redor. Não há nada na natureza e na sociedade que escape da sensibilidade deles e eles apreendem o mundo em em preto e branco e em traços coloridos, mostrando a multidisciplinaridade da vida cultura e artística em pinturas que realçam temas diversos”.

Temáticas – Por caminhos distintos e usos de técnicas variadas, acrescenta a coordenadora, os estudantes, independente da linguagem artística, abordam a complexidade e a diversidade da vida cultural, retratando a beleza do mundo oriunda da natureza (o mar, os rios, o sol, as matas, as flores, as aves, as borboletas) e do cotidiano da vida social, das expressões de lugares reais e imaginários, do ambiente escolar e do mundo do conhecimento e das expressões e manifestações culturais (negros, índios, mestiços, mulher, corpo e sedução).

Temas como a seca do Nordeste; o desmatamento; a violência contra a mulher, a temporalidade como expressão de vida; as diferenças sociais; a importância da leitura e a liberdade, em uma releitura nas artes visuais de Navio Negreiro, em comemoração aos 170 anos de Castro Alves, entre outros tantos, estarão estampados nos quadros de autoria dos estudantes, no Nível 6 da Arena, durante o encontro.

Artes visuais – Criado em 2008, o Artes Vi­suais Es­tu­dantis (AVE) trata de um pro­jeto pi­o­neiro da Secretaria da Educação do Estado, de ca­ráter edu­ca­tivo, ar­tís­tico e cul­tural, en­volvendo es­tu­dantes do 6º ano do En­sino Fun­da­mental ao 3º ano do En­sino Médio e equi­va­lentes (Edu­cação de Jo­vens e Adultos – EJA, En­sino Normal e Tec­no­ló­gico) da rede es­ta­dual, além de pro­fes­sores de Língua Por­tu­guesa, Arte e dis­ci­plinas afins, co­or­de­na­dores pe­da­gó­gicos, di­re­tores das es­colas e dos Nú­cleos Ter­ri­to­riais de Edu­cação (NTE) e téc­nicos da Se­cre­taria.

CETEP Irecê promove Semana de Ciências, Cultura e Tecnologia

23172898_1973145589594868_8901273790507561727_n23172489_1973145962928164_4657801023371177424_n

A comunidade escolar do Centro Territorial de Educação Profissional de Irecê (CETEP), a 478 Km de Salvador, no Centro Norte do Estado, está promovendo, até esta quinta-feira (9), a V Semana de Ciências, Cultura e Tecnologias. A atividade tem como tema “A Tecnologia na Sociedade Contemporânea” e marca a culminância dos projetos realizados na unidade escolar durante todo o ano letivo. A programação, aberta à comunidade, conta com palestras, oficinas, mesas redondas, gincana cultural e apresentações sobre os cursos técnicos de nível médio e de qualificação profissional ofertados pelo Centro.

A programação foi aberta, nesta terça-feira (07), na Praça Central da cidade, quando os estudantes realizaram apresentações culturais e prestaram serviços gratuitos. “O CETEP fica distante sete quilômetros do centro da cidade e nem todos conhecem nosso trabalho. Por isso, escolhemos a praça da cidade, para que a população tenha acesso aos serviços, conheçam nossos cursos e tudo que realizamos no CETEP. Tivemos aferição de pressão, glicemia, tipagem sanguínea, campanhas educativas sobre o Novembro Azul e a Febre Amarela, produção de mudas de plantas, entre outras atividades com o envolvimento de todos os nossos alunos”, explicou o diretor do CETEP Irecê, Carlos Ney Nascimento.

A turma de Valterluci Amado Félix, do curso técnico em Nutrição e Dietética, levou para o estande, bolos, tortas, pães e até panqueca, todos integrais, fabricados por eles para a apresentação, comercialização e degustação da população. Os futuros técnicos aproveitaram para dar dicas de alimentação saudável e formas de aproveitar melhor os alimentos. “Distribuímos, também, a mistura de água, bicarbonato de sódio e limão, explicando como é feita esta solução, que pode ser usada para regular o intestino e melhorar o PH do estômago. Gostei do projeto. É uma forma de apresentar nosso curso, nossas habilidades e tudo que estamos aprendendo em sala de aula”, pontuou a estudante.

Para chamar a atenção da população sobre o uso consciente do dinheiro, a equipe da estudante Giovanna Pires, do curso técnico em Administração, realizou uma enquete com perguntas para saber como as pessoas administram, gastam e se economiza dinheiro. Ao final, a turma prestava orientações de como é possível gastar conscientemente e até de como investir. “Foi uma atividade muito produtiva. Conversamos com a população, aplicamos tudo que estamos aprendendo no curso e falamos sobre formas de investimentos e empreendimentos. Aproveitamos para vender alguns produtos e todos gostaram da iniciativa”, concluiu.

III Encontro Territorial dos Líderes de Classe – NTE 01

30_10_2017_17_01_06 img_20171018_114410333 img_20171018_114438357 img_20171018_155702335

O III Encontro Territorial dos Líderes de Classe do Território de Identidade de Irecê – NTE 01 aconteceu no dia 18 de outubro do corrente ano com a temática: Relação étnicos raciais, “Juventudes que Transformam: “Resistência e Ancestralidade”, o encontro começou às 7h30 com um delicioso Coffee Break, após, a abertura oficial foi feita pelo Diretor do NTE 01, Profº Clendson Barreto e CODEB, Profº Carlos Adolfo.
De acordo com a programação do folder, abrindo os trabalhos, uma linda apresentação de um grupo de dança do CETEP, que se apresentou lindamente, trazendo arte, beleza e descontração para o evento.
Após, o aluno Ithany Felipe, do Col. Est. João Durval Carneiro de São Gabriel, líder de classe por três anos, relatou de forma extraordinária e magnifica a sua bela trajetória como líder de classe contagiando a todos com a sua oratória, demonstrando carisma, segurança, clareza, espontaneidade e simplicidade.
Na sequência, para discutir o tema do encontro, formou-se uma mesa redonda, composta pelo líder Ithany Felipe, o diretor do Núcleo, Profº Clendson Barreto e um convidado especial, César Damásio, Cientista Social pela UFRB e mestrado pela PPGSC, o mesmo falou sobre diversidade e preconceito, com foco nas comunidades quilombolas.
À tarde, aconteceram as apresentações dos planos de ação pelos líderes de classe, enviados anteriormente para o núcleo, os quais foram avaliados e escolhidos 5 (cinco) para apresentação e premiação, com medalhas e brindes (livros).
Os premiados, do 1º ao 5º lugar foram: João Durval Carneiro (São Gabriel), CEEP (Xique-Xique), Col. Est. José de Souza Machado (Central), Col. Est. Carolina Almeida Lopes (Jussara) e Col. Est. Maria Quitéria (Gentio do Ouro).
Encerrou-se o evento com uma avaliação escrita e um delicioso lanche saboreado, ao som, voz e violão de Roberta Gêa, aluna do Col. Modelo de Irecê com muitos aplausos.